domingo, 10 de junho de 2018

Dia de Portugal

Hoje é dia de Portugal... de um Portugal inserido na Europa... na Europa do multiculturalismo.
Só quem não sabe o que é o homem e o que é a cultura pode viver em paz com o multiculturalismo.
Vamos à coragem para a busca da verdade... porque esta é precisamente a definição de inteligência desde a mais alta antiguidade.
Eu sou cristão e católico. Ora pelo que há de mais profundo no tecido do cristianismo, eu não posso comer à mesma mesa dos que fazem pouco desse mesmo cristianismo. É este que me diz que eu não posso estar de bem com todos: «Pelo sinal da Santa Cruz, livre-nos Deus nosso Senhor e dos nossos inimigos». Então, pergunto eu, como é que este espírito se pode ajustar a essa política do multiculturalismo? Um dos dois tem que ceder a favor do outro. Qual cederá? Jesus Cristo, a Palavra da Salvação pela qual Ele, Jesus Cristo, não se acobardou, mas derramou o seu sangue por toda a Humanidade? Nem pensar. Fora de Jesus Cristo, ao fim e ao cabo, fora da Trindade, o que temos é a desunião, fonte de todo o mal.
A patranha do multiculturalismo não avançou em Portugal tanto como avançou no resto da Europa... talvez porque a nossa vocação mais profunda é marítima desde séculos.
Voltemo-nos para o mar porque o sangue de tantos e tantos portugueses derramado neste mar nos reclama.
O mar é a nossa verdade.  

Sem comentários:

Enviar um comentário