quinta-feira, 31 de maio de 2018

Fernão Mendes Pinto, Camões e Cervantes 6

Os Lusíadas de Camões e D. Quixote de La Mancha de Cervantes são duas obras universais que se dão conta do fim de um mundo e começo de outro.
Por outras palavras: Luís de Camões e Miguel de Cervantes têm nítida consciência do fim da Idade Média e começo da Era Moderna.
Para mim, na nossa Literatura, os homens que estão no filão do grande poeta quinhentista são Cesário Verde, Camilo Castelo Branco e Vitorino Nemésio.
Mas quanto à Peregrinação de Fernão Mendes Pinto, estamos perante uma longa narrativa que pertence a outra esfera do literário.
De facto, a Peregrinação é uma sucessão de cenários cujo elo de ligação não se vê... pelo menos à vista desarmada.
Vou continuar a ler para ver se me aparelho melhor e chego a uma conclusão que possa sustentar perante a inteligência dos outros.
Porque, ainda para mim, caminhar sem chegar não faz sentido.

Sem comentários:

Enviar um comentário