sexta-feira, 2 de março de 2018

Festa Brava e ideologia de género

É absolutamente impossível que Festa Brava coabite com a criminosa ideologia de género. Esta tem por fim a efeminização dos homens. Efeminados estes, não há Festa de Toiros.
No meio disto tudo, se algo me espanta é a posição do vereador da cultura Vasco Pinto. Vasco Pinto, grande forcado e cabo de forcados em Portugal, de mãos nuas, sempre defendeu a Festa Brava e continuará a defendê-la, agora sobre um plano privilegiado, o de autarca da terra natal com o pelouro da cultura entre mãos.
Eis a razão por que Vasco Pinto não dará o seu contributo para que medre em Alcochete ideologia tão daninha, pois esta é anti-civilizacional, pondo fim às tradições dos nossos pais e avós.
Se Vasco Pinto não travar alguns funcionários da Câmara de Alcochete, entrará em profunda contradição com a própria vida, falsificando o histórico da mesma.
Vasco, dirijo-me a ti, eu falo duro, mas é tudo o que teu nobre pai e tu representam entre nós que eu defendo e defenderei até à minha morte.
LER OS TEXTOS EM BAIXO.


Sem comentários:

Enviar um comentário